Ocorreu um erro neste gadget

Follow by Email

terça-feira, 22 de março de 2011

Não faltará água

Faço parte de um grupo de amigos que se reúne todas as terças. Pensamos, filosofamos, tomamos vinho, falamos mal da vida dos outros e comemos. O jantar tanto pode ser um prato extremamente elaborado ou lingüiça assada. Mas não pode faltar pão. Uma tradição. Assim como já é costume cada um que chega e diante o imenso pacote com pães observa num misto de ironia e advertência: “Vai faltar pão”.
Nunca falta, assim como nunca faltará água. A cada semana da água vejo profecias. A água vai acabar, temos de poupar. Bobagem imensa. O perigo de escassez numa região existe e sempre existiu. A água que está na superfície do Planeta hoje estava aqui muito antes do primeiro homem rastejar para fora das cavernas e continuará quando cientistas de outra espécie estarão escavando fósseis para tentar imaginar como seriam os humanos e porque se extinguiram.
Existe uma hipótese d’ água sumir da terra? Li um teoria. Se um imenso planetóide se chocar com a terra pode jogar toda a água para o espaço. Bem nesse caso isso pouco vai importar para nós que já estaremos pulverizados.
Então qual é o problema. O problema é o regime de chuvas. Por desmatamentos, poluição, mudanças no eixo da terra, alteração das correntes marinhas a chuvas podem desaparecer de uma região e ela se desertifica impedindo a fixação do homem, Ou chover o equivalente de um ano em poucos dias ou horas, matando aos milhares com tsunamis de água e deslizamentos.
Então o negócio é estudar mecanismos e defesas para fixar os regimes de chuvas. Temos ciência e capacidade para daqui uns quinhentos recebermos em casa um almanaque para todo ano informando onde, quando e quanta chuva irá cair.
Então tudo o que se faz é perda de tempo? Não. A preocupação e cuidados têm de existir para manter a terra habitável com fenômenos que permitam a vida humana. Falta de chuva mata. Excesso dela também. Como pregava Confúcio (551 A.C.) o melhor sempre é o caminho do meio. Como nunca falta pão em nossos rega-bofes, também nunca faltará

Nenhum comentário: