Ocorreu um erro neste gadget

Follow by Email

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

A morte do cervejeiro

Morreu Rupprecht Loeffler, 93 anos.O mais antigo cervejeiro em atividade no Brasil. Herdou e manteve a centenária cervejaria em Canoinhas, no Planalto Norte. A Nó de Pinho era produto para conhecedores.

Ele estava internado no Hospital Santa Cruz desde segunda-feira, 21, e faleceu por volta das 12h40 deste domingo, 27.Prefeito Leoberto Weinert (PMDB) decretou luto oficial de três dias pela morte do mestre cervejeiro mais antigo do Brasil. Ele está sendo velado na Câmara de Vereadores com honras. Merecidas. Colocou com sua cerveja, a cidade no mapa gastronômico. Recebia visitantes do mundo todo.


O cervejeiro nasceu em 1917 em Corupá-SC, filho de Otto e Emma Loeffler. Seu pai fundou em Canoinhas, em 1908, a Cervejaria Canoinhense, conhecida hoje como a única no Brasil a preservar as mesmas características desde sempre.

No ano passado, Loeffler virou selo dos Correios e foi homenageado pela Câmara dos Vereadores com o título de cidadão honorário canoinhense.

Ele ficou conhecido também nacionalmente pelo documentário curta-metragem Cerveja Falada, que abordava o cotidiano do mestre cervejeiro.

Convivi muito com o Loeffler. Especialmente entre 2002 e 2004 quando o jornal Correio do Norte me fazia estar semanalmente em Canoinhas. Sua cervejaria, numa construção em enxaimel, com a frente sombreada por duas centenárias araucárias era uma atração e ponto de encontro. Se comprasse a cerveja para levar pagava um tantinho mais e recebia o produto nas tradicionais garrafas de 600 mililitros com histórico rótulo Nó de Pinho.
Se fosse tomar no local - quase sempre o nosso caso - o velho cervejeiro, magro, curvado pelos anos abria a geladeira e sacava de lá os litrões de Coca Cola cheios de cerveja. As mesas e cadeiras tão velhas quanto a cervejaria ocupavam uma sala lotada de animais empalhados, todos caçados pelo velho Loeffler.
Ele tinha esperança que um filho residente no Rio Grande do Sul assumisse o negócio. Tomara.

sábado, 26 de fevereiro de 2011

China reduz pena de morte

A Veja que está circulando, publicou: A China, campeã mundial no uso da pena de morte, decidiu abolir a punição para treze crimes econômicos e não-violentos, como o contrabando de relíquias históricas e fraude tributária. Mas Lang Sheng, vice-presidente da comissão judicial do comitê permanente do Congresso Nacional Popular, disse que a pena capital continua sendo necessária para outros crimes, como homicídios violentos.
Após a mudança, a penalidade continuará sendo aplicada a 55 delitos, segundo a agência oficial de notícias Xinhua. É a primeira vez que a China reduz a aplicação da pena de morte desde a entrada em vigor do atual Código Penal, em 1979. O objetivo da medida, segundo as autoridades, é "implementar ainda mais o princípio de abrandar a Justiça com a misericórdia".
"As sentenças de morte precisam estar em concordância com as necessidades do desenvolvimento econômico e social do nosso país", disse Lang. A Xinhua informou também que a pena de morte deixará de ser imposta a réus que tenham 75 anos ou mais na época do julgamento, exceto em caso de homicídio cruel. As autoridades afirmam que nunca cogitaram abolir a pena de morte para condenados por corrupção

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Surdez de Moisés

O senador Luiz Henrique da Silveira este hoje na TV da Cidade. Convidado do jornalista Luiz Veríssimo é o entrevistado do programa Encontro com a Imprensa que vai ao ar na noite deste sábado. Após a gravação e ex-governador ficou na TV conversando. Leve e solto.
Alguém lembrou as encrencas que estão acontecendo no Oriente Médio e Norte da África. Ele chutou de primeira: "A culpada disso tudo é a surdez de Moisés". A maioria ali tinha lido pelo menos História Sagrado e alguns outros a Bíblia. Logo, conheciam Moisés mas ninguém tinha ouvido nada sobre a tal surdez.
Rindo Luis explicou. "Moisés era surdo e no Monte Sinai Deus lhe disse. Pega teu povo e leva para o Canadá. Moisés desceu e levou a turma para Canaã. Até hoje estão se matando".

Irresponsável

Moradores do Jardim Sofia fecharam a rodovia Santos Dumont em manifestação reivindicando melhorias para o bairro. O secretário regional Josival Silva é entrevistado, admite as necessidades do bairro e diz que vai tentar sensibilizar o governo.
Então tá. Ele é o que?
Alguém tem de informá-lo que o governo é ele. Está ali para resolver os problemas. Se é para empurrar a coisa para cima do chefe a região não precisa dele, pois já tem o vereador Bento como representante

Na muda

Romualdo França está dispensando convites para entrevistas à imprensa. Alega que Manoel Mendonça ainda é o secretário e declarações sobre ações do governo na região de Joinville ainda são todas com Maneca

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Terrorismo com o Carlito

1 - O ex-secretário da Fazenda de Joinvile, Márcio Florência tinha um jeito todo peculiar de manter o prefeito Carlito em constante sobressalto e o governo paralisado. Todo mês, lá pelo final da primeira quinzena, aproveitava reunião do secretariado para anunciar tragicamente: “Creio que este mês não teremos condições de honrar o pagamento do funcionalismo”.
2 – O jornalista Altair Nazário, que tem um cargo no terceiro escalão do município na cota do PP procurou um líder para anunciar que estava pensando em “desembarcar” do governo e aceitar proposta para atuar no jornal A Gazeta de Joinville. Os pepistas não gostaram nadinha do assunto. Crêem que Altair, que sempre se alinhou na ala que faz oposição do deputado Kennedy Nunes, esteja trocando de lado
3 – Servidores municipais enfrentam problemas para serem atendidos em hospitais quando informam que o plano de saúde é da Servimed. A empresa não está pagando os conveniados pelos serviços. Alega que o município não tem feito os pagamentos devidos.
4 – Os fiscais da Seinfra não estão saindo a campo. Falta gasolina. Pilhas de processos para concessões de alvarás estão aumentando.
5 – Secretário Ariel Pizolatti, da Seinfra, otimista com a ida de Eduardo Dalbosco para chefia de Gabinete. Acredita que se a secretária tiver um fluxo de caixa mensal garantido dentro do que foi orçado pode transformar a cidade em poucos meses.
6 – No site da Prefeitura Municipal de Joinville, Márcio Florêncio ainda aparece como secretário. De certa forma ainda o fé. Quem o está substituindo é o adjunto Flávio Martins Alves, diretor executivo da secretária e que segue a risca a cartilha de Márcio

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Indignação no PP de Joinville

Os pepistas de Joinville estão em clima de indignação. O partido recomendou que sejam realizadas as convenções no período entre 11 de março e 10 de abril. Até aí tudo bem. A agremiação hoje comandada pela vereradora Carmelina Barjona se prepara para apresentar uma chapa com vistas a formação do diretório.
Só que este pessoal que há anos vem carregando o partido nas costas no município não quer conversa com o deputado Kennedy Nunes, que pela imprensa e redes sociais, vem repetindo que não precisa do partido, que é auto suficiente e coisas assemelhadas.
Kennedy quer ser candidato a prefeito mas sabe que se surgir alguém com algum potencial e espírito de grupo ele será preterido pelos joinvilenses. Então foi se queixar à direção partidária. Aldo Rosa, do diretório estadual, encarregou o ex vereador e ex presidente Guilherme Voss de procurar os líderes partidários e pedir a conciliação com o deputado, mas insinuando que se não aceitassem as pazes com o Kennedy poderá haver intervenção do diretório estadual em Joinville.
A mensagem de Aldo Rosa, bem ao jeito de Florianópolis, que pensa ser o resto do estado formado por caipiras analfabetos, só fez aumentar a revolta. Conhecedores dos estatutos do partido, os pepistas mandaram perguntar a Florianópolis sobre que bases pretendiam intervir em Joinville? Tocaram reunir e tem pressa em formar uma chapa que demonstre claramente que nem Kennedy nem Aldo Rosa mandam no PP de Joinville.

Projeto de Viaduto

O planejamento da prefeitura está concluindo projeto de elevados na cidade que será entregue ao deputado Kennedy Nunes para que ele consiga liberação dos R$ 7 milhões, que conforme ele afirma ter incluído no orçamento do Governo de Santa Catarina para este ano.

Fábrica da GM

Segundo nota distribuída pela assessoria de imprensa da preeitura, a paranaense Cesbe Engenharia vai construir fábrica de motores da General Motors em Joinville. A informação é vice-presidente da empresa, Marcos Munhoz, durante encontro com o prefeito Carlito Merss na manhã desta quarta-feira no gabinete do prefeito. Também participaram da reunião o gerente de relações governamentais da GM, Antonio Carlos Ramos, o secretário de Integração e Desenvolvimento Econômico, Rodrigo Thomazi, e o vereador Manoel Bento.
O grupo também visitou o terreno onde será construída a fábrica de motores, no quilômetro 47 da BR 101. Marcos Munhoz revelou que a cerimônia de lançamento da pedra fundamental da nova fábrica deve ocorrer na primeira quinzena de abril e não mais no mês de março.
A GM tem pressa na construção da fábrica, pois será esta unidade que vai ajudar a incrementar a produção da fábrica de Gravataí-RS. "Vamos torcer para que o tempo colabore e os prazos sejam cumpridos", observou o prefeito.

A fábrica de motores e cabeçotes irá faturar R$ 300 milhões ao ano, terá investimentos de R$ 350 milhões e vai gerar 500 empregos diretos e 1,5 mil indiretos. A expectativa da montadora é de que as contratações comecem nos primeiros meses de 2012.

A produção da GM deve começar em meados de 2012. A fábrica fará 120 mil motores e 200 mil cabeçotes ao ano. Destes, 120 mil serão usados nos motores fabricados na unidade, que vão atender a demanda da GM de Gravataí.

Qual a altura dos prédios?


Perguntar no ofende. Por que a lei de uso e ocupação do solo de Joinville entra em minúcias como o número de pavimentos que devem ter os prédios, quantidade de janelas e outras cositas mas? Por que não estabelecer apenas a altura, a destinação e deixar todo o resto por conta da imaginação, talento e competência de arquitetos e engenheiros?

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Oriente em chamas

Primeiro foi a Túnisia, depois o Egito. Agora é a Líbia e longo em seguida o Bahrein, depois a Jordânia, lgogo chegará a vez da Arábia Saudita e por último o Irã. Tal como aconteceu na antiga União Soviética os governos de força vão despencando. Os revolucionários da antiga URSS se miragem e queriam um tipo de vida igual ao do ocidente. O jovens do norte da África e do Oriente Médio se mobilizam pelo Face Book e Twitter. Ninguém sabe para onde irão estes países. Para uma democracia ou, o mais provável para uma teocracia comanda pelos clérigos mulçumanos.
No que isso nos afeta. O preço do barril do petróleo está indo para a estratosfera. A Petrobrás festeja e nós pagamos.

Dalbosco no Gabinente

O articulado Eduardo Dalbosco assume assume a Secretaria de Gabinete do prefeito Carlito Merss. Com bom diálogo mesmo com setores tidos como hostis ao governo, o gaúcho tem condições de dar uma nova cara à gestão. Menos fundamentalista, mais pragmáticao vai trafegar com desenvolvutra num universo onde o crítico nem sempre é um opositor e o opositor jamais não é necessariamente um inimigo.

IPPUJ denunciado

A Associação de Moradores do Bairro América protocolou no gabinete do prefeito Carlito Merss extensa correspondência denunciando o presidente Luiz Alberto do IPPUJ por agressão durante reunião, quinta passada, do Conselho da Cidade.
A Associação de Moradores do Bairro América, a mais aguerrida de Joinville já encnarou diversas brigas. Anos passados a Câmara de Vereadores de Joinville entrou com projeto para mudar o zoneamento do bairro. Os membros da Associação, maioria mulheres, sob a liderança da então presidente Eleny Meister lotou as dependências da Câmara e forçou o arquivamento do projeto. Wittich Freitag era o prefeito e o saudoso Edgar Meister, esposo de Eleny, era o homem forte do governo. Freitag, também morador do bairro aceitava a mudança que beneficiaria o amigo e então vereador Nilson Bender.
Perguntado sobre o que achava da atuação da esposa contrariando o prefeito Edgar, diplomático, se rendeu: Quando Eleny e as amigas se juntam eu, que não sou bobo, trato é de ficar quieto.
Aos interessados no teor da correspondência basta acessar o blog bairroamerica.blogspot.com

Resenha de terça

A chefe de Gabinete do prefeito Carlito Merss, Maria Ivonete Peixer entregou carta endereçada ao seu chefe,a imprensa e ao PT. Informa que cumpriu seu dever e agora retorna à Promotur onde ainda tem muito a dar ao governo.
Pois bem. Verdade que pretensão e água benta nunca fez mal a ninguém, mas a verdade é que a moça falhou fragorosamente com o seu com o Carlito. Cabe a chefia de gabinete articular e harmonizar os entes municipais. Ela foi uma das principais fomentadoras de fofocas, intrigas e puxadas de tapete. Se aliou a grupos em oposição a outros. É só perguntar a Eduardo Dalbosco, Ariel Pizzolatti e outros.
Permitiu ou deixou avançar ações terrivelmente desgastantes para a imagem de Carlito. A principal delas foi o famigerado reajuste do IPTU que revoltou até a base aliada no legislativo.
Agora sai e anuncia mocraticamente que volta para a Promotur. Ao que consta ela é demissionária do cargo. Se vai para a planície ou ocupar outro posto não depende dela. Por uma questão de hierarquia deveria esperar que o Carlito fizesse este anúncio.

Mortes violentas
Jornais estampam hoje notícia de duas mortes no transito na manhã de ontem. Poucos minutos separam um incidente do outro. Ambos e ruas centrais da cidade. Num deles caminhão contra moto e no outro caminhão contra automóvel. Ambos com características de excesso de velocidade. No mesmo horário um grupo com vários guardas faziam blitz na rua Jaraguá, já apelidada no twitter de sucursal de Conurb, tal a frequência que escolhem aquele ponto para suas barreiras. Ali só multam quando deveriam estar circulando na rua punindo motoristas e motqueiros que não cumprem as normas de trânsito.

Romualdo fala da nomeação
Já na noite de ontem o novo secretário do Desenvolvimento Regional esteve na TV Brasil Esperança, dando entrevista ao Sérgio Silva. Em resumo disse que em janeiro Luiz Henrique alertou-o a ficar disponível para uma eventual convocação para a SDR. Não mais se falaram. Disse que recebeu e aceitou o convite do governador apenas ontem. Alegou que como presidente do diretório municipal do PMDB fez campanha o tempo todo em defesa da permanência de Manoel Mendoça a quem qualifica como o melhor de todos os secretários do governo passado.
Disse também que os cargos de nomeação na SDR serão preenchidos pelos partidos da base governista. Amanhã ele estará em Florianópolis para receber as orientações mais precisas sobre sua missão. Bom

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Romualdo França na SDR

Pelo twitter o governador Raimundo Colombo anunciou a escolha de Romualdo França Júnior para comandar a Secretaria de Desenvolvimento Regional de Joinville

Quem é o novo secretário??

Romualdo Theophanes de França Júnior

Nascido em 28/05/1963 em Curitibanos. Formação Técnica em Edificações e Superior em Engenharia Civil.
Possui especializações em Engenharia de Segurança, Avaliações e Perícias e Patologia de Estrutura de Concreto. Tem mestrado em Infra-estrutura e Gerência Viária e é Doutorando em Engenharia de Tráfego.

Na iniciativa privada já atuou como:
• Técnico em Edificações da empresa Costaquino Ltda;
• Engenheiro Residente:
•Metrópole Incorporações Ltda;
•Engepasa Infraestrutura S.A.
• Gerente de Contratos da Encol S.A;
• Sócio Proprietário da empresa Atlantes Engenharia Ltda.

Atuou nos seguintes Cargos Pú blicos: • Chefe do Serviço de Plantas e Projetos - Prefeitura Municipal de Joinville (1987/1989);
• Secretário Adjunto de Serviços Pú blicos - Prefeitura Municipal de Joinville (1994/1997);
• Chefe da Divisão de Obras - Prefeitura Municipal de Joinville (1999/2000);
• Presidente da Companhia de Desenvolvimento e Urbanização de Joinville (2000/2002);
• Presidente do Departamento Estadual de Infra-Estrutura - DEINFRA (desde 2003).

Exerceu as seguintes representações:
• Conselheiro do Centro de Engenheiros e Arquitetos de Joinville - CEAJ;
• Conselheiro da Associação dos Engenheiros Civis de Joinville - AJECI;
• Diretor Regional da Associação Nacional de Transportes Pú blicos - ANTP (2000/2005 );
• Diretor de Operações e Planejamento da Associação Brasileira de Órgãos Rodoviários - ABDER (2003/2007);
• Dirigente do Fórum Nacional do Código de Trânsito Brasileiro.
________________________________________________________________________________________________
O governador anunciou hoje os seguintes secretários regionais:

Para Secretaria Desenvolvimento Regional de Tubarão, Haroldo de Oliveira Silva
Para Secretaria Desenvolvimento Regional de Timbó, Rogério Theiss
Para Secretaria Desenvolvimento Regional de Lages, Jurandir Agustini
Para Secretaria Desenvolvimento Regional de Criciúma, Luiz Fernando Cardoso
Para Secretaria de Desenvolvimento Regional de Chapecó, Eldimar Jagnow

A semana promete

Segunda começa com promessa de chuva na metereologia e alguma turbulência no universo político. Hoje serão anunciados, pelo governador Raimundo Colombo nomes do secretariado regional. Provavelmente nem todos. Partidos da base aliada não se entendem sobre quem nomear para alguns postos.
No plano nacional a questão do salário mínimo, agora no Senado, deve ocupar os debates. No caos político partidário seguem questões da reforma eleitoral. A já denominada Lei Tiririca ganha adeptos e músculos. Seus defensores querem que seja eleito aquele que tiver mais voto e não pelo coeficiente eleitoral como é hoje. O Democrata, rachado se divide entre fundir~se com outra sigla ou criar um novo partido que abrigue descontentes de variadas siglas. Uma parcela cada vez mais minguada luta pela manutenção do fragilizado Dem. Raimundo Colombo, o único governador eleito é noiva cortejada por todos.
Na paróquia joinvilense a questão é se o governo Carlito deslancha ou segue no rame-rame. A reforma do secretariado que se anunciou ampla pode ficar com a saída de Márcio Florêncio e remanejamento de Maria Ivonete Peixer. PMDB ameaça sair mas segue. Kennedy Nunes do PP joga na oposição mas seu partido segue olímpico no governo. Se Kennedy, num rasgo de honestidade, deixasse a sigla muitas velas e orações se veria e ouviu nas mais diversas igrejas.
A questão que vai aumentar de tom na cidade é a discussão em torno do projeto de zoneamento urbano. O assunto até agora tratado nas sacristias deve ganhar o púlpito. Quem pensa e ama Joinville se organiza para debater a questão em bases lógicas e honestas.
A TV da Cidade vai se engajar no debate.

domingo, 20 de fevereiro de 2011

Cuidamos de Joinville?

Mesmo que tenhamos empregados (vereador, prefeito, secretários dirigentes de companhias públicas e fundações) deixaríamos que eles pintassem e bordassem em nossa casa? Certamente que não. Até para movimentar um móvel queremos tomar conhecimento. Lidar com cristais, nossas coisas pessoais, então nem pensar.
Joinville é nossa casa. Nosso Jardim, nosso lar. Como podemos permitir que façam e desfaçam coisas enquanto nos ausentamos. Nos queixamos quando deveríamos agir. Calamos quando a última palavra é nossa.
Hoje dois textos no jornal A Notícia soam como um grito de advertência. Um clarim tocando reunir, atenção. Ambos tratam das mudanças em nosso zoneamento que IPPUJ e alguns de poucas credenciais perpetram para Joinville. Jefferson Saavedra faz conta de somar em diminuir provando que temos áreas desocupadas mais que suficientes para nossa cidade crescer até além da impensável população de um milhão de habitantes. Apolinário Ternes, veteranos jornalista e escriba talentoso explode em indignação em artigo pessimista e profético.
Além deles o mais conhecidos profissionais e urbanistas de Joinville. Muitos com assento no Conselho da Cidade pregam no deserto contra a sanha de adensamento urbano defendida pelas vozes do IPPUJ, muitas delas acumpliciadas com proprietários de áreas especulativas e empreendedores sequiosos por lucros. Direito deles, garantido por lei, de realizarem o melhor negócio para seus capitais. Mas quando dirigentes públicos passam a defender as bandeiras dos mercadejores é tempo de soar o alarme, ensarilhar armas, ocupar barricadas de decência, colocar as tropas do bom senso e moralidade em campo.

sábado, 19 de fevereiro de 2011

O polícia e a banqueira

O delegado e deputado Protógenes Queiroz (PCdoB-SP), chefe da Operação Satiagraha, que prendeu o banqueiro Daniel Dantas, deve ser casar com Roberta Luchsinger, herdeira do banco Credit Suisse. Ela é neta do banqueiro Peter Paul Arnold Luchsinger, que já teria abençoado a união. Em processo de separação de sua primeira mulher, Queiroz conheceu a noiva durante sua campanha eleitoral.
O banco Credit Suisse, da futura mulher de Protógenes, emprega 48 mil pessoas e teve lucro de 7,8 bilhões de francos suíços, em 2010.
A noiva de Protógenes estaria grávida, segundo apurou o repórter Sergio Pardellas, de IstoÉ, mas a família ainda não confirma.

Para apreciadores de vinho

Oportunidade imperdível para os amantes de vinho. O enólogo e produtor português Paulo Laurena apresenta na noite de 17 de março, na Poial Tropeiro quatro de seus magníficos vinhos ao custo de R$ 56. A promoção é da Adega Di Bacco. Os participantes ainda ganharão um taça de degustação com o nome do enólogo gravado. Programa imperdível para enólogos, someliers ou simplesmente amantes e tomadores de vinhos como eu, o Henrique Chiste, Eduardo, Volnei Valentim e Vitor Guilherme.
A Paulo Laureano Vinus é um projeto familiar que teve início em 1999, com uma pequena vinha junto a Évora (Vinea Maria’s) e que assume um maior impacto a partir de 2006 com a aquisição de 75 hectares de vinhedos na emblemática região alentejana da Vidigueira, num “terroir” muito especial, capaz de dar uma maior identidade e personalidade aos vinhos.
A vinícola passou a ter sede na Vidigueira, onde são produzidos todos os vinhos alentejanos da Paulo Laureano Vinus. O sucesso da marca Paulo Laureano, estruturada nos vinhos Paulo Laureano Clássico, Paulo Laureano Premium e Paulo Laureano Reserve, levou a esta ampliação da área dos vinhedos, onde as castas portuguesas são uma marca de diferenciação. O encepamento privilegia exclusivamente as castas portuguesas, com destaque para as uvas brancas Arinto, Roupeiro e Antão Vaz, esta ultima um verdadeiro “ex-libris” desta região e para as tintas Aragonez, Trincadeira, Alicante Bouschet e Tinta Grossa, uma verdadeira raridade do patrimonio vitícola alentejano.

Quem assume a SDR?

Raimundo Colombo, governador dos catarinenses não divulga a prometida lista com os nomes dos secretários regionais. Promete nomes para segunda. Só que agora em doses homepáticas. Críticos dizem que assim ele aumenta o número de seguidores no twiter. Ele atribuiu a culpa aos partidos da base que não se acertam sobre os ungidos.
Caso de Joinville. Monoel Mendoça é titular. Quer ficar. O cargo pertence ao Luiz Henrique que até agora disse querer trocar o velho companheiro por Romualdo França, o novo escudeiro. Romualdo até quer mas não está disposto a queimar navios e derrubar pontes pela assunção.
As apostas que eram pule de dez para o jovem engenheiro agora já pendem para o incorrigível tabagista Maneca. O preterido ocupará cargo de assessor no Senado. A função em Brasília não apetece a Maneca que odeia aviões por ser-lhe insuportável ficar mais de 15 minutos sem fumar. Já Romualdo vê a coisa numa boa.
Vamos aguardar

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Carlito e a imprensa

O prefeito Carlito Mers recebeu a imprensa para uma conversa na Estação da Memória. Antiga estação ferroviária. Quando começou a falação apareceu o trem. Momento nostálgico. Foi num trem que ele veio de Porto União para Serra Abaixo, como diziam por lá e ele pensava ser o nome de uma cidade.
O encontro com pão de queijo, suco e café foi uma boa idéia que deveria ser praticada desde o início do governo. Porém antes tarde que nunca. A formatação foi equivocada. Jornalista odeia discursos. Não tem tempo nem saco para isso. Quer conversar. Fazer perguntas. Cavocar novidades. Sugiro que adote o sistema que Amin sempre usou. Uma mesinha com o café e uma mesa grande. Todos sentam em volta e já começa a perguntação durante uma hora. Fala-se de tudo. Dá até para contar piadas. O prefeito se cerca dos auxiliares mais inteirados dos assuntos que a assessoria de imprensa aponta como o que está pegando. Socorre-se destes auxiliares pontualmente mas não lhe entrega a palavra para galopar sentenças. A estrela que interessa aos jornalistas é o prefeito.
De qualquer maneira o encontro foi interessante. Vi o Jefferson Saavedra e Domingos Aquino, de An, O Luiz Veríssimo, O Marco Aurélio Braga no primeiro compromisso público pela Mais FM, a Marlize Grot, Ana Keller, o Anildo Jorge, o velho cabo de guerra. Ramiro Gregório da Silva, Vitor Guilherme e toda a turma da prefeitura. Gebaile, apressado com o óculos escuros caindo pela cara. Apareceu e eclipsou-se no intervalo de um minuto. Toninho Neves prometeu e não foi

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Dança das cadeiras

Maria Ivonete Peixer deixa a chefia de gabinete do prefeito Carlito Merss. Volta para a Promotur. Telefonou para Augusto que a substituiu ordenando que desocupe a mesa. Ora pois...
Tuffi Micheref em intensa campanha para ocupar a secretaria da fazenda. O moço parecer gostar de setores antipatizados mas que mexam com dinheiro. Porém setores da torre consideram que lhe falta - digamos - estatura para o cargo.

A piscina

Deitei falação sobre nosso volei de piscina na terça, quando ainda iria acontecer. Agora fui cobrado do resultado. Bem tudo aconteceu diferente. Primeiro ficou frio e a velharada sequer esboçou pular n´água. Ficamos no seco, ali na casa do Volnei vendo e ouvindo uns cantores tão velhos quanto a maioria. A música, porém, da melhor qualidade. De boa cepa também os vinhos que nos aqueceram a alma.
O Henrique mandou aquele tentador cardápio de pratos para escolhêssemos um. Ao fazer as compras decidiu que não estava com saco para nada muito elaborado. Pão com linguiça assada e "tamos" conversado. Jurandir não apareceu com o violão. Pedrão não veio nem justificou. Gilson chegou direto do fórum. Paulo Santa apareceu a pé.Mora perto Faceiro porque 100 anos depois da monumental revolução do ensino de Oerestes Guimarães ele e a Sociesc vão elaborar a nova reformana educação catarinense.
Henrique, aquele que não estava com saco para se meter entre panelas e fogão, admoestou muito sutilmente os useiros e vezeiros em tomar vinho sem nunca comparecer com uma garrafa. Por falar em vinho Alan não foi com seu estoque. Mas Eduardo chegou com um grã cru de humilhar. Binho apareceu distribuindo simpatias. O último volei do ano será na casa dele como sempre. Apenmas nominal porque lá também só vamos para comer e encher a cara. Binho nem piscina tem.
Meia noite com o equilíbrio seriamente comprometido me retirei à francesa. A maior parte ainda ficou. Mais uma terça que valeu por um ano inteiro de terapia. E bem mais barato.

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Perdeu um papagaio?

Um papagaio africano (Psittacus erithacus) foi encontrado por um morador
do bairro Glória e entregue ao Parque Zoobotânico de Joinville. A ave,
conhecida por ser muito inteligente e palradora, possui anel de
identificação de criadouro particular. O papagaio aguarda pelo dono.


A ave de pelagem cinza custa aproximadamente 12 mil reais. No entanto, só
será ao proprietário após apresentação da nota fiscal de compra, e ainda,
cadastro no Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais
Renováveis (Ibama)
Mais informações no Zoobotânico ou pelo telefone (47) 3026-5429.

Cadê Marinete?

Carlito pensa sobre como encaminhar o governo. Qual o tamanho da reforma do secretariado. Quem colocar no lugar de quem. Com quantos e quais aliados pode contar e até quando. Ateu, não se permite perguntar aos céus. Já viu que interrogar a corte produz tragédia. Shakeasperiano. Puro Hamlet. É profunda a solidão. E a companheira de sempre? O alter ego que nos bastidores triturava com habilidade e ferocidade todos os problemas, empecilhos e adversários? Se foi?
Onde está Marinete???

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Cadê o nosso PT

O nosso PT, tal como o JEC, perde de goleada para os petistas dos outros estados. Santa Catarina em geral, e Joinville em particular está se afogando novamente e nenhum movimento em Brasília para nos mandar algum recurso para auxiliar na recuperação dos muitos milhões em prejuízos.
O Carlito que já foi estrela de primeira grandeza em Brasília agora está perdido com seus problemas de quintal, entre eles a chuva. Ideli assumiu o ministério da Pesca e parece que foi pescar. Vignatti, fulgarante promessa, também está no mar. Colocaram ele na geladeira, tomou gosto pelo frio e mandou-se para a Antártida. Penso que dá para trocar todos pelo Jacques Wasgner que quando ministro mandou todos os recursos destinados as tragédias para a sua Bahia.

Vamos cair na água
Hoje, como todas as terças, durante todo o verão, eu e turma de amigos caímos na piscina para disputadíssimo volei. É todos contra a bola. Briga geral. Pau pega e não alivia. O único calmo do grupo é Henrique Chiste Neto. Não escala seu time e muito menos o dos adversários. Não desafora quando alguém quebra as unhas numa bola redonda e sempre cumprimenta os adversários na remota eventualidade de vencerem.
Mas temos também o Pedrão da Águas de Joinville. Barítono incomparável. O Fábio da Sociesc. Como eu, ele gosta de sardinha frita. O Valentim filósofo. Bobô pragmático. Jurandir da Engepasa que as vezes leva o violão. Alan a segura garantia de que não faltará vinho.Eduardo Teicofski quando leva o vinho humilha. Tanto na qualidade quanto no conhecimento. Cidico, a garantia que não faltará pão. Danielli que está contundido. Paulo Santana sempre está bonzinho. Binho, o golfinho. Juarez Machado que torce à distância. Está na França. Pode? Jair manda e não pede. Nonô, estamos repatriando dos Estados Unidos.Douglas econmiza. Paulo Viquetti corta. Salésio Medeiros cria pombos. Salésio Roveda é o homem da montanha. Quase mágica. Mauro Moura é especialista em coisas exóticas. Sávio nos trocou pelos Bodes do Asfalto. E o Cláudio, o bem aventurado.Agora tem uma turma nova que estamos testando.
O Luciano está sendo sindicado. Fez a comida da semana passada. Codornas numa receita francesa. Por conta delas Danielli quase perdeu a vísicula.E o cozinheiro sabotador ainda atribuiu o incidente ao fato que Dani comeu 18 das 52 codornas.
A comida de hoje é por conta do chef Henrique. Mandou lista de especialidades para escolha de um prato: Cação ensopado com arroz selvagem e pão.Namorado na brasa com arroz com ervas e pão. Frango indiano com farofa de rico e pão. Sardinha na brasa com salada verde e pão. Cozidão de carne e pão.

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Semana agitada

Na TV da Cidade, 21 horas, divido a bancada com o, igualmente, veterano Ramiro Gregório da Silva. Temas de hoje. Reforma do secretariado de Carlitos. Max Bornholdt foi convidado para a fazenda mas atravessa tão excepcional momento na vida pessoal e profissional que rechaçou a sondagem. De inconstestável valor sobram Nelson Corona e Rodrigo Bornholdt. Certamente com a oposição dos que temem sombra e honestidade

- Influente proprietário de extensa área de terras no Jativoca sonha em erguer ali empreendimento imobiliário. De preferência com recursos do programa Minha Casa Minha Vida. Perguntar não ofende. Aquele banhado ali não alaga com qualquer chuvinha???

- Marco Tebaldi reassume a Secretaria de Educação. O duble de gaúcho e italiano pode, a semelhança de Orestes Guimarães, ficar na história como o grande promotor da reforma do ensino catarinense. A oportunidade é única. Precisa cercar-se de feras no setor. Paulo Santana, um craque, vivendo em nada criativo ócio, deveria ser convocado para a tarefa.
Só para lembrar. Orestes Guimarães, paulista da Taubaté de Henrique Chiste Neto, fez a reforma do ensino em Santa Catarina. Depois de sucesso em São Paulo, foi convocado ao Estado em 1910. A reforma física e pedagógica do ensino que realizou é modelo - com pequenas mudanças, algumas para pior -  empregado até hoje. Foi uma revolução.

- O multifacetado João Lima reuniu amigos em sua chácara no sábado. Futebol, churrasco e a vida alheia ocuparam os alegres participantes. Fábio Dalonso, um dos convivas, recebeu sugestões e conselhos sobre futuro político. O professor e jornalista Regional Jorge e Luiz Veríssimo relatavam os fatos, pelo twitter, em tempo real.

- Surpreendeu-me o número de acessos a este novel blog. Obrigado aos amigos que o estão divulgando. É um estímulo a continuar. Mais que relatar fatos e causos espero que o espaço contribua para discutir nossa cidade, nossa estado, nossas vidas, nosso pensar e fazer.

Hoje é Valetine,s Day


   No Brasil comemoramos o dia dos namorados no dia 12 de junho. Na Europa e na América do Norte, essa festa é tradicionalmente comemorada no dia 14 de fevereiro, dia de São Valentim.
Como muitas outras datas comemorativas católicas, sua origem está na Roma Antiga, nas festas pagãs de Lupercália, que aconteciam em meados de fevereiro.            
O festival era dedicado a Lupercus (protetor dos rebanhos e pastores) e Juno (deusa do amor).            
Em 496, as comemorações da Lupercália foram incorporadas às tradições cristãs e celebradas no dia 14 de fevereiro, em memória de São Valentim, padre romano morto em 270. No século XVII, ingleses e franceses passaram a celebrar o Dia de São Valentim como o dia da união dos namorados. Um século depois, a data foi adotada nos Estados Unidos. Canadenses, mexicanos e australianos também mantêm a tradição: no dia 14 de fevereiro os casais participam de missas e trocam presentes, pedindo proteção e felicidade ao santo. Mas, ao contrário da versão brasileira do dia de São Valentim, o nosso Dia dos Namorados, é comum nos países europeus as pessoas presentearem não somente seus namorados(as), mas aqueles que gostam, como mães, pais, irmãos, amigos.
No Brasil, apesar de ser comemorado às vésperas do dia de Santo Antônio, o famoso santo casamenteiro, tudo começou com uma campanha realizada em 1949 pelo publicitário João Dória - na época na Agência Standard Propaganda - sob encomenda da extinta loja Clipper.
Para melhorar as vendas de junho, então o mês mais fraco para o comércio, e com o apoio da confederação de Comércio de São Paulo, instituiu a data com o slogan: "Não é só de beijos que se prova o amor".
A Standard ganhou o título de agência do ano e a moda pegou, para a alegria dos comerciantes. Desde então, 12 de junho se tornou uma data especial, unindo ainda mais os casais apaixonados, com direito a troca de presentes, cartões, bilhetes, flores, bombons....uma infinidade de opções para se dizer "Eu Te Amo!".
Nem todos os países comemoram o dia dos namorados como nós fazemos. Na Itália, as pessoas fazem um grande banquete no dia 14 de Fevereiro. Na Inglaterra, as crianças cantam canções a recebem doces e balas de frutas de seus pais. E na Dinamarca, as pessoas mandam flores prensadas umas às outras, chamadas "flocos de neve".
No Japão a data foi introduzida em 1936 e o costume neste dia é as mulheres presentearem os seus amados com caixas de chocolates. Embora a data represente uma oportunidade para as mulheres declararem o seu amor, nos últimos anos o giri choco (chocolate de cortesia ou obrigação ) também se encontra presente na cesta de compra de grande parcela da população feminina. Mas, muita gente ainda reluta em adotar a data, alegando que se trata de uma jogada comercial, no que não deixam de ter razão, uma vez que o Valentine s Day representa cerca de 20% do volume anual de vendas das fábricas de chocolate do arquipélago. Mas, o que vale mesmo é a intenção e não há como negar que a vida fica um pouquinho mais doce com estas declarações de amor e com estes chocolates.
Nos Estados Unidos nos dias que antecedem 14 de fevereiro, lojas de cartões, livrarias, lojas de departamentos e drogarias oferecem uma grande variedade de cartões comemorativos chamados Valentines.
Os adultos costumam comprar cartões para acompanhar presentes mais elaborados como doces, flores ou perfumes. Nas escolas as crianças apreciam comprar ou fazer cartões para seus amigos e professores.
O Papa Gelasius declarou o dia 14 de fevereiro como "Valentine's Day"em 498 a.C. Depois, durante a Idade Média, o dia passou a ser dedicado aos apaixonados, como o Dia dos Namorados no Brasil.
Na Inglaterra, Valentine's Day transformou-se em feriado por volta do século XVII. Namorados e pretendentes passaram a trocar bilhetinhos de amor e presentes.
Nos Estados Unidos, o feriado foi fixado no calendário em 1700. Em 1840, Esther A. Howland começou a produzir em massa lembrancinhas para comemorar o Valentine's Day.
Mas Valentine's day, ou dia de São Valentim, tem uma história bem antiga. Dei uma olhada no History Channel e traduzi um texto que eles explicam como surgiu esta comemoração.
A Igreja Católica reconhece ao menos três diferentes santos chamados Valentim, todos mártires. Uma lenda diz que São Valentim era um padre durante o século 3 em Roma. Quando o Imperador Claudius II percebeu que homens solteiros eram melhores soldados do que os que tinham mulher e família, ele decretou que o casamento era ilegal para os homens jovens - seus soldados em potencial. São Valentim, percebendo a injustiça do decreto, continuou realizando os casamentos de jovens casais em segredo. Quando Claudius descobriu o que São Valentim estava fazendo, decretou pena de morte para o padre. Outras histórias sugerem que o santo pode ter sido executado por tentar ajudar os Cristãos a escaparem das prisões romanas, onde eram muitas vezes espancados e torturados.
De acordo com outra lenda, quando prisioneiro ele teria se apaixonado por uma jovem donzela, provavelmente filha de seu carcereiro, que o visitava. Antes de morrer, ele teria escrito uma carta para ela, onde assinou "from your valentine" (do seu Valentim), uma expressão que é utilizada ainda hoje nos cartões nesta data. Esta carta é considerada o primeiro "cartão" de dia dos namorados. Embora ninguém saiba a verdade, as histórias certamente enfatizam o santo como simpático, heróico e principalmente, romântico. Durante a Idade Média, ele foi o santo mais popular na Inglaterra e França.
Enquanto alguns acreditam que a data é celebrada no meio de fevereiro para lembrar o aniversário da morte ou enterro do santo - o que provavelmente ocorreu em 270 d.C. - outros dizem que a Igreja deve ter decidido celebrar a data em uma tentativa de converter comemorações pagãs realizadas na mesma época. Na Roma antiga, fevereiro era oficialmente o início da primavera e era o tempo de purificação. As casas eram limpas em um ritual onde depois de varrer a casa, espalhava-se sal e um tipo de trigo pelos cômodos. Então iniciava-se a Lupercalia, em 15 de fevereiro, que era um festival da fertilidade, dedicado a Faunus, o deus romano da agricultura, e aos fundadores da cidade, Romulo e Remo. Para iniciar o festival, membros do Luperci, uma ordem de sacerdotes romanos, se encontravam em uma caverna sagrada, que era onde se acreditava que Romulo e Remo teriam sido criados por uma loba. Os sacerdotes então sacrificavam uma cabra, para fertilidade, e um cachorro, para purificação. A cabra era então cortada em pedaços, que eram molhados no seu próprio sangue e um grupo andava pela cidade molhando os campos e as mulheres com o sangue destes pedaços, para trazer fertilidade no próximo ano. Mais tarde neste mesmo dia, todas as mulheres jovens colocariam seus nomes em uma grande urna. Os homens solteiros da cidade então tiravam um nome e se formavam os pares para o ano, muitos resultando em casamento.
O Papa Gelasius declarou 14 de fevereiro como dia de São Valentim por volta de 498 d.C. A "loteria" de casais foi então proclamada anti-cristã e fora da lei. Durante a Idade Média, o dia 14 de fevereiro era comumente creditado como o ínicio da temporada de acasalamento dos pássaros, o que contribuiu para a idéia que esse dia deveria ser associado com romance.
O mais antigo presente de dia dos namorados existente hoje é um poema escrito pelo Duque charles, de Orleans, para sua esposa, enquanto ele era prisioneiro na Torre de Londres, após sua captura na importante Batalha de Agincourt. O poema, escrito em 1415, é parte da coleção de manuscritos da Biblioteca Nacional de Londres. Muitos anos depois, acredita-se que o Rei Henrique V contratou um escritor chamado John Lydgate para criar uma mensagem pela data para Catherine de Valois.
No Reino Unido, o dia começou a se tornar popular no século 17. Na metade do século 18, era comum para amigos e namorados de todas as classes sociais trocarem pequenos presentes e cartas nesta data. No final do século, os cartões impressos começaram a substituir as cartas tradicionais, devido aos avanços da tecnologia de impressão. Os cartões prontos eram um jeito fácil para as pessoas se expressarem nesta época em que a expressão direta dos sentimentos era desencorajada. Tarifas postais mais baratas também contribuíram para a grande popularidade do envio de cartões. Os norte-americanos provavelmente iniciaram sua troca de cartões feitos a mão por volta de 1700. Já no ano de 1840, Esther A. Howland começou a vender os primeiros cartões produzidos em grande escala nos Estados Unidos. De acordo com a Associação de Cartões dos EUA, aproximadamente um bilhão de cartões são enviados todos os anos neste dia, tornando o dia dos namorados os segundo maior dia em envio de cartões do ano, perdendo apenas para o Natal. Estima-se que 85% dos cartões sejam comprados por mulheres. A data é comemorada em muitos países, incluindo Canadá, México, Reino Unido e França.

sábado, 12 de fevereiro de 2011

Dilemas do Carlito

Márcio Florêncio, o secretário da fazenda do prefeito Carlitos caiu. Pediu para sair. Não deixa saudades sequer entre os colegas de colegiado. Ainda se ouvirá falar dele. É acusado de malfeitorias que ainda não se tornaram públicas. Questão de tempo. Os danos que causou tendem a se ampliar. Com pouco poder para retaliar desafetos, sua saída promove vítimas de ontem em algozes de armas ensarilhadas. Quem o substituirá?


Um nome apropriado
Carlito tem o substituto perfeito em sua base aliada. Max Bornholdt, ex-secretário da Fazenda de Luiz Henrique da Silveira, é pai de Rodrigo Bornholdt, presidente do PDT, aliado do governo. Max é competente, com ligações afetivas com o PMDB, trânsito em todos os setores, com visão correta e humanista dos problemas joinvileses e especialista em tributação. Coisa que o próprio Rodrigo também o é. Resta saber se pai ou filho aceitam a missão. Joinville ganharia e o governo idem. Qualquer um deles agregaria valor e respeito a um colegiado com poucas e escassas expressões junto a comunidade joinvilense.


Prestígios ameaçados

Marcos Schoente, da Fundema, e Ariel Pizolatti, da Seinfra, são dois outros profissionais respeitados em seus setores. Claro que ninguém, ao longo da vida, constrói uma carreira sem pisar interesses nem deixar desafetos. Especialmente entre aqueles que querem se fazer pelo mexerico ou pela prática de safadezas.
Marcos, capitaneando uma entidade que tem por atribuição cuidar do meio ambiente e ao mesmo tempo liberar ações de desmatamentos, tem apoio até de entidades de defesa da ecologia, mas é torpedeado por colegas de governo. Especialmente do Ipuj. Este tem no comando Luiz Alberto que declara amor ao prefeito mas namora interesses que certamente trarão muitas dores de cabeça ao alcaide.
Ariel, com poucas condições de trabalho se não consegue realizar obras vistosas, oblitera danos. Os empreteiros da municipalidade, sem receber suas faturas, somente não vieram a público denunciar o colote municipal porque o italiano empenha a amizade e o crédito que tem para fazer as coisas se manterem calmas.
Dalbosco é outro. Culto, boa visão, republicano,tem procurado antecipar problemas, mas é bloqueado. Era por Márcio Florêncio e ainda o é por Ivonete Peixer. Dalbosco é interlocutor a quem, tanto petistas quanto opositores, admitem inteligência e capacidade de exergar além do mundinho retaco dos fundamentalistas que rodeiam Carlito.

Águas de Joinville
Os dois diretores petistas que se apossaram da Companhia Águas de Joinville e ignoram o presidente Atanásio Pereira que virou rainha da Inglaterra. Reina mas não governa. A empresa que tinha resolvido o problema de abastecimento de água na cidade, volta a ser notícia pela constante escassez do produto. Equipe técnica é reconhecidamente competente. O que imobiliza é descontentamento pela arrogância e grosserias dos dois diretores que entendem tanto de abastecimento de água quanto um tamanduá da anatomia das formigas. Tal como o bicho na relação com as formigas, eles sabem da empresa apenas o sabor e fartura que lhes empresta o poder efêmero. O que se ouve nos corredores e ruas desabastecidas é: Saudades de Henrique Chiste Neto



terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Tempo de reflexão

Se fosse eu o assessor do prefeito Carlito daria a seguinte recomendação. Veja quem está produzindo fatos positivos para seu governo, para Joinvillle e para os joinvilenses. Seja compreensivo para aqueles que agem com o objetivo de acertar. Seja severo com os que, com o poder e a responsabilidade nada fizeram escudados na desculpa vil que não tinham as condições adequadas.
Diria também: a autoridade não tem amigos, não é delegada, nem tem parentes. Exerce-a pois é tua responsabilidade e é o que se espera de ti. Alertaria: Chefe fraco não recebe nem angaria respeito.

sábado, 5 de fevereiro de 2011

Suspeição e perplexidade

Grupo imenso e heterogêneo junta-se para advogar com veemência a verticalização de Joinville. Ora pois. Por que?
Sabido é que cidades verticalizadas perdem em qualidade de vida. Trânsito caótico, aumento de calor e frio, poluição, queda na qualidade dos serviços públicos e em diante. Joinville terá tudo isso e mais. O agravamento das enchentes que a cada ano atingem níveis maiores, justamente em função do aumento na impermeabilização do solo. Caos pontecializado. Quem será cobrado? O prefeito de plantão. Tal como se faz hoje a Carlito, como se fez ontem a Tebaldi e a anteontem a LHS.

Então porque o Ippuj que deveria cuidar disso está defendendo a verticalização no centro de Joinville. Quem ganhará com isso, visto que a cidade perde? Ganharão os especuladores com os terrenos no centro. Isto é claro como mingau de nenem

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Paz e harmonia é ação de autoridade

Paz e harmonia em uma equipe é resultado, não da boa vontade entre as partes, mas da autoridade e vigilância do chefe.
Em qualquer empresa as gerências sabem o quão produtiva é a concorrência. E vigiam para que esta salutar batalha por espaço e reconhecimento entre as partes não degenere em fofocas e puxadas de tapete que levarão ao fracasso até o projeto mais promissor.
No caso da administração pública, aos humores e futricas correntes na iniciativa privada, se somam as paixões e conspirações próprias da atividade política.
É o que está acontecendo em Joinville. O governo municipal se imobiliza e erra por falta da autoridade do chefe que permite aos seus assessores se engalfinharem numa sangrenta luta por posições.

Advertência explicita
O que acontece nos países árabes onde vicejam os regimes mais repressores do planeta, ventos da mudança sopram inexoráveis varrendo para a história regimes com décadas de férreo controle sobre seus cidadãos. E o mais espantoso é que as operações de defenestragem dos tiranetes de plantão não é resultado de grupos de oposição e sim da mobilização espontânea da população. Tudo feito e animado pela internet.
Enquanto isso, aqui na Terra de Santa Cruz, nossos políticos se portam como se a nação fosse seara particular onde podem sacar os recursos para benefício seus e dos grupos.Seria bom um pouco de bom senso. As mudanças acontecem de súbito e uma vez desencadeadas tem resultados são imprevisíveis.

Atenção PF 1
Revoltantes as informações sobre a cobrança, pelo IML de Joinville, de até R$ 5 mil "por fora" para liberar os cadáveres de pessoas falecidas aqui e que os familiares querem transladar para as cidades de origem. As funerárias fazem a intermediação para a liberação seja acelerada.

Atenção PF 2
Parece que o IPUJ de Joinville se tornou um balcão de negócios de seleto grupo. A flexibilização de uma norma tem preço fixo.









terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Competência é para ser castigada?

Li hoje nota no jornal Notícias do Dia, na coluna assinada pelo Rogemar Santos. Informa que o prefeito joinvilense Carlito Merss fará mudanças no secretariado. Começaria por trocar o comando da Fundema, hoje com o engenheiro Marcos Schoene.
Considero como tiro no pé. É mexer em time que esta ganhando. A Fundema é dos poucos entes municipais a produzir notícias positivas nesta administração.
Ao contrário da Conurb tocaida a multar motoristas irregulares, leia-se, os mais pobres, a Fundema tem feito elogioso trabalho na defesa do meio ambiente e - notável - multando justamente os poderosos que sempre se portaram acima da lei. Há aí muito de educativo, o que não se vê na orgia da Conurb.

Candidato vulnerável

Além do mais - ainda segunda coluna - o vereador pedetista James Schroeder é apontado como futuro titular da Fundema. É possível, mas para isso teria de renunciar o mandato de vereador. Pago pra ver. E James tem vulnerabilidades que já estão assanhado setores oposicionistas. Ontem foi correria só ao site do Tribunal de Justiça.

Perigo a vista
Seria interessante ao Carlito, se inteirar das bombas prestes a explodir em outras secretarias. Procurou-me uma funcionária que humilhada pelo seu chefe. Coletou uma pasta gorda de irregularidades que - segunda ela - são mais que suficientes para levar seu algoz à cadeia. Ofereceu-me cópia das barbaridades.

Esquecido
O parque Caieras, belo recanto no Adhemar Garcia está com a torre de observação interditada. Mas o parque em si funciona e merece visita. Lugar aprazível, natureza bela e um pouco da nossa história visível. Vale a visita solitários e acompanhados.

Doente
Preocupa amigos e familiares a saúde do vereador Patrício Destro. Patríco foi um repórter íntegro e é uma das boas surpresas da política catarinense. Que se restabeleça porque eleitores e a cidade precisa dele.

Pincel na mão
A maioria dos vereadores de Joinville aprovou inocentemente o famigerado aumento do IPTU. Hoje o prefeito Carlito vai ao legislativo propor que a lei a provada seja alterada. Inteligente. Ele sairá de bonzinho e os vereadores de Geni.

Posses
Tomaram posse no Senado Paulo Bauer e Luiz Henrique da Silveira para mandato de oito anos. Casildo Maldaner que herdou mandato de Raimundo Colombo assume por quatro anos. Hoje aliados, Paulo e LHS já foram adversáriaos nos velhos tempos de MDB e Arena. Mas têm coisas em comum. Ambos eleitos por Joinville, nasceram em Blumenau por circunstâncias. A mãe de Paulo preferiu o atendimento naquela cidade e não em Jaraguá onde vivia. No caso de Luiz Henrique, de família florianopolitana, só nasceu lá porque e mãe estava em vista a parentes. Tebaldi, empossado hoje para o primeiro mandato de deputado federal é gaúcho de Erechim e como tantos outros que construíram esta cidade, escolheu aqui fazer vida e família.